ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Aterro sanitário já recebeu 2.051 toneladas de resíduos do antigo lixão de Itabuna



O aterro sanitário da Central de Valorização de Resíduos Costa do Cacau, (CVR), localizado na BR-415, já processou 2.051 toneladas de resíduos sólidos do antigo lixão de Itabuna em quase um mês de operação. Já os resíduos de construção civil, somam 1.210 toneladas, que chegam ao aterro.
O secretário municipal de Infraestrutura e Urbanismo, Almir Melo Jr, acredita que a parceria da Prefeitura de Itabuna com o aterro é um avanço para a cidade. “Já é um grande passo já que cumprimos a Lei de resíduos sólidos e ajudamos a despoluir o meio ambiente”, destacou em uma referência à Lei nº 14.026/2020, do Marco Regulatório de Saneamento Básico.
O gerente comercial da empresa, Rodrigo Zaché, ressalta que a destinação legalizada dos resíduos contribui para o desenvolvimento industrial de Itabuna. “A maioria das empresas, antes de se instalarem nas cidades, avaliam se há um tratamento do lixo, e Itabuna agora já está atende a esse parâmetro”, falou.
A mudança também vai beneficiar os catadores, que sobreviviam da reciclagem dos materiais sólidos no lixão, em condições subumanas. Pois, as famílias já começaram a receber cestas básicas e algumas serão contempladas com auxílio aluguel e uma bolsa de 700 reais. “Eles criaram uma associação e em 30 dias terão suporte de Ecopontos que nós vamos instalar na cidade, para despejo do lixo seco, a exemplo de latas, papelão e embalagens plásticas em um galpão que vai contar com uma esteira para ajudar na separação dos recicláveis”, afirmou Almir Melo JR, secretário municipal de Infraestrutura e Urbanismo.
O fim do lixão representa um benefício à saúde pública, principalmente porque estava localizado a 2 quilômetros do Hospital de Base Luís Eduardo Magalhães. Por dia, 20 caminhões compactadores chegam ao aterro sanitário na BR-415, para a destinação dos resíduos. “Todo o lixo é fracionado de forma que não tenha contato com o solo. Já o líquido poluente é armazenado e passa por um transformação até ser transformado em água para reuso e o gás metano é captado e eliminado durante o processo”, explicou Rodrigo Zaché, gerente comercial da empresa da CVR Costa do Cacai.

Conselho Municipal de Meio Ambiente.

Nesta terça-feira, dia 26, às 15 horas, o Conselho Municipal de Meio Ambiente fará uma visita ao aterro sanitário para ver todo o processo de destinação final dos resíduos coletados na cidade. Técnicos da Prefeitura e da CRV Costa do Cacau, irão explicar aos conselheiros o passo a passo do processo de operação do aterro sanitário.

Nenhum comentário