Bolsonaro sofre novo bloqueio judicial de R$ 317 mil por não ter usado máscara na pandemia - Bahia Expresso

Últimas


Ita melhor

quarta-feira, 14 de junho de 2023

Bolsonaro sofre novo bloqueio judicial de R$ 317 mil por não ter usado máscara na pandemia


Bloqueio ocorreu em função de três multas aplicadas pelo governo de São Paulo, durante a gestão do ex-governador João Doria

Foto: Pablo Jacob/Agência O Globo

O ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) revelou nesta quarta-feira (14), que sofreu mais um bloqueio judicial devido a três multas aplicadas pelo governo de São Paulo, durante a gestão do ex-governador João Doria. O ex-presidente mostrou o registro da restrição no valor de R$ 317.047,52 à CNN Brasil.

Foto: Reprodução/CNN Brasil

Por conta da multa, valores que estavam na conta ou que serão depositados serão retidos em função do bloqueio judicial, que já é segundo aplicado ao ex-presidente.
Na terça-feira (13), a Justiça de São Paulo determinou um outro bloqueio, no valor de R$ 87 mil, por Bolsonaro ter circulado sem máscara no município do Vale do Ribeira, região sul do estado, em dezembro de 2021.
O ex-presidente esteve presente, também nesta quarta, em um evento na sede do Partido Liberal, em Brasília. Na ocasião, Jair Bolsonaro falou da medida judicial. "Por enquanto tenho fundo, daqui a pouco não vou ter mais. Vou ver se o Valdemar me paga por fora para não ter o salário retido aí. A gente não vai se desesperar por causa disso. Sabemos quem está do lado certo e quem quer o futuro do seu País".
O uso de máscaras de proteção facial como medida de prevenção contra a Covid-19 se tornou obrigatório no estado de São Paulo em maio de 2020, a partir de decreto do ex-governador João Doria. O decreto levava em conta espaços fechados e abertos ao público, como ruas.
De acordo com o governo do estado, os valores de multa indicados na legislação à época foram embasados no Código Sanitário. Em resolução complementar ao decreto, foram fixadas multas nos valores de R$ 524,59 para pessoas físicas e de R$ 5.025,02 para estabelecimentos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário