Itabuna: Alta rejeição e baixa popularidade faz Augusto Castro vetar aumento de salário na Emasa - Bahia Expresso

Últimas


Ita melhor

quarta-feira, 17 de maio de 2023

Itabuna: Alta rejeição e baixa popularidade faz Augusto Castro vetar aumento de salário na Emasa

 

A repercussão negativa junto à população do anúncio do aumento salarial dos diretores da Empresa Municipal de Águas e Saneamento, a alta rejeição da atual gestão e a baixa popularidade do prefeito de Itabuna foram os reais motivos da intervenção de Augusto Castro na Emasa, determinando a imediata suspensão do reajuste.
Nota divulgada pela Prefeitura diz que para Castro, “a prioridade do momento são os investimentos na modernização do abastecimento de água do município, principalmente na conclusão do Projeto Mais Água, que tem a primeira etapa com previsão de ser entregue até o final do ano, mas que o referido reajuste salarial poderá ser estudado em um momento oportuno”.
No entanto, o consumidor itabunense, ao não acreditar na versão apresentada, indaga: como os dirigentes de uma importante empresa como Emasa eleva seus salários sem a anuência e o conhecimento de Augusto Castro, considerado um gestor centralizador, que acompanha de perto, todas as ações do seu governo? E por que a diretoria não submeteu a decisão ao prefeito antes de torná-la pública, poupando-o desse desgaste necessário?
O fato é que o desempenho da Emasa – assim como o sistema de transporte coletivo – é um nó górdio na atual administração itabunense. O serviço prestado pela empresa é campeão em reclamações e está afetando gravemente a imagem do prefeito e do seu governo. Há meses, é motivo de duras por parte da população. Diariamente, os programas das emissoras de Rádio e TV abrem espaço para queixas de inúmeros consumidores.
Recentes pesquisam – tanto as encomendas pelo Governo do Estado, por empresários e políticos, e pelo próprio Augusto Castro – apontam que a avaliação da gestão não é boa. O prefeito de Itabuna enfrenta uma alta rejeição pessoal e baixos índices de popularidade. Motivos: além do serviço prestado pela Emasa, o péssimo estados dos ônibus urbanos, a grave da Saúde com a falta de medicamentos nos postos, as denúncias de irregularidades na FICC, a população descobriu a existência de servidores fantasmas e a suspeita de erros na celebração dos contratos públicos.
Mesmo tendo consciência que sua situação não é confortável, Augusto Castro insiste em vender a imagem grande gestor e em cometer erros crassos: não valoriza os técnicos competentes e responsáveis de seu governo, se afastou dos seus reais amigos e dos aliados históricos, se cerca de bajuladores e de pessoas de competência duvidosa, não ouve seu secretariado, não se reúne com os representantes dos segmentos da sociedade nem sente a trepidação social. Ele prefere gravar vídeos e dá entrevistas, falando em planejamento e em obras, prometendo muito e cumprindo muito pouco.

: Escrito por: Ederivaldo Benedito

Nenhum comentário:

Postar um comentário