Faculdade de Ilhéus celebrou a história do curso de Enfermagem - Bahia Expresso

Últimas


Ita melhor

domingo, 21 de maio de 2023

Faculdade de Ilhéus celebrou a história do curso de Enfermagem

 


A Faculdade de Ilhéus celebrou a história de 15 anos do curso de Enfermagem com a realização da Semana de Enfermagem, nos dias 15 e 16 de maio, com a temática central “Valorização do trabalho em Enfermagem com desenvolvimento sustentável e bem-viver”. Foram realizados minicursos ministrados por egressos da instituição de ensino que atuam no mercado de trabalho e, no dia 16, foi contada um pouco da história de implantação curso, durante apresentações realizadas no auditório da faculdade. O professor Hugo Monteiro da Costa Júnior e o Marco Antônio Gomes Mello animaram a noite com voz e violão, no início e no final das atividades, com a participação dos estudantes Heitor Marques, Jeilane Almeida, Vitória Lima e Pedro Gomes

O diretor-geral da Faculdade de Ilhéus, professor Almir Milanesi, fez um resumo da história e estratégias de crescimento da instituição, com o objetivo de estimular os estudantes ao empreendedorismo. Na oportunidade, citou a contribuição da professora Malu Rocha na implantação dos cursos. A Faculdade iniciou com 142 alunos, seis professores e três salas de aula. Hoje, são 179 professores, 69 funcionários e quase três mil estudantes.

Em seguida, os acadêmicos do primeiro semestre do curso, orientados pela professora Kátia Marques, contaram a história de alguns ícones da enfermagem mundial e nacional, com alguns caracterizados, com destaque para a enfermeira britânica Florence Nightingale, a fundadora da enfermagem moderna.  Foram lembradas Anna Nery, Wanda Aguiar Horta e Maria Ivete Ribeiro de Oliveira. Entre os ícones, a enfermeira Maria Amélia Santos Farias, que foi professora das disciplinas Saúde do Idoso e Saúde Coletiva da UESC e da Faculdade de Ilhéus, atualmente aposentada e residente na cidade de Teixeira de Freitas.

O professor e coordenado do curso de Enfermagem, Robson Vidal de Andrade, falou sobre as primeiras reuniões para autorização do curso com o MEC, confecções de horários, contratação de professores, eventos de extensão e atividades diversas do curso. Enfatizou o reconhecimento do curso antes de formar a primeira turma com conceito 4, e demais renovações de reconhecimento. Ele informou que foram graduados 445, no período de 2012.2 até 2022.2.

Robson destacou que atualmente o curso possui 244 alunos matriculados e que 82% são do sexo feminino e 88% com idade superior a 31 anos. E parabenizou aos alunos que atuaram voluntariamente na campanha de vacinação da covid-19. Foi aberto um parêntese para homenagear com a lembrança

àqueles que fizeram parte da história do curso e partiram para o outro plano. Ao final, os acadêmicos do décimo semestre que fizeram parte da organização do evento, homenagearam os professores do curso que estavam presentes no auditório.

Foram mostrados dois vídeos com depoimentos de egressos. O primeiro referia-se ao colaborador de serviços gerais, Tony, que aproveitou o incentivo da Faculdade de Ilhéus e cursou Enfermagem, especializou-se em Urgência e Emergência e foi tentar a vida em

São Paulo, onde passou num processo seletivo em uma empresa de ambulância que faz serviço pré-hospitalar. Atualmente, ele trabalha em um pronto socorro do município de São Paulo, na área de urgência e emergência.

A egressa Luana Monstans agradeceu ao professor Robson por ter sido muito importante no seu processo burocrático de equivalência em uma faculdade pública na Europa, em Portugal. “Moro em Portugal há cerca de 10 anos, e o curso da Faculdade de Ilhéus permitiu que eu entrasse em uma Faculdade pública, concretizasse o processo de equivalência, sob a orientação de professores renomados aqui do país, a nível nacional e internacional, como o senhor professor doutor Sampaio da Nova, a professora Idalina Gomes, importantíssimos no processo de equivalência. A base do curso da Faculdade de Ilhéus fez com que eu tivesse a equivalência, permitiu que eu atuasse em grandes hospitais daqui na Europa, como o IPO - Instituto de Oncologia de Portugal, trabalhei na oncologia pediátrica, trabalhei em algumas instituições privadas, em algumas farmacêuticas, como Italfarmaco (italiana), como a Expanscience (francesa), e atualmente trabalho como enfermeira para o Alchemlife, um laboratório indiano com sede aqui, em Portugal”, afirmou. 















Nenhum comentário:

Postar um comentário