Vitória histórica na final do Carioca 2023 - Bahia Expresso

Últimas


Ita melhor

terça-feira, 11 de abril de 2023

Vitória histórica na final do Carioca 2023



Levei dois dias para baixar a adrenalina e poder escrever - sem paixão e com a razão - sobre essa final. Sei que muitos vão desdenhar e dizer que o “carioquinha” tem que acabar, que é um campeonato mediano e coisa e tal. Vejo como desculpa de perdedor, pois tinha uma frota de carros pronta para fazer uma carreata aqui em Ibicaraí para comemorar o título se o Flamengo ganhasse.
Gente, foi uma conquista gigantesca. O Fluminense simplesmente ganhou do melhor time do mundo, segundo a Federação Internacional de Histórias e Estatísticas do Futebol (IFFHS), com sede em Bonn, na Alemanha, com muita propriedade e uma virada “FELOMENAL”, como diria o personagem Giovanni Improtta (Senhora do Destino, 2004/2005).
Não foi a conquista de mais um campeonato estadual, foi a conquista do bicampeonato Carioca sobre o milionário e multicampeão Flamengo, com uma folha salarial quatro vezes maior que a do Fluminense e um orçamento anual de um bilhão de reais. O Flamengo joga com uma seleção em campo e outra no banco. Ganhar desse time, e como ganhou, não é e nunca será pouca coisa.
O Fluminense, com esse título, prova que é possível ser campeão sem o maior orçamento, usando a base, mesclando juventude e experiência, praticando um bom futebol coletivo e prezando sempre pelo ataque e a busca incessante por gols.
O Flu foi premiado e de quebra ajudou a premiar um grande técnico que está mudando a forma de jogar futebol no Brasil. Fernando Diniz mescla a escola holandesa de Rinus Michels e sua Laranja Mecânica (1974) e o Tiki-taka do Barcelona com Pep Guardiola (2008/2012. O técnico tricolor mistura essas duas escolas e faz o Fluminense jogar o futebol mais bonito e envolvente do Brasil (no momento).
O título e a goleada histórica ficam e marcam, mas é importante ressaltar a mudança na forma coletiva de jogar futebol nos times de Diniz, o Dinizismo (apesar da resistência de muitos), jogando em bloco, com o time povoando uma zona, onde todos correm, marcam, pressionam, tocam, participam e fazem gols já é uma realidade. Hoje é a realidade do Fluminense campeão.

Arnold Coelho

Nascido na Baixada Fluminense

Nenhum comentário:

Postar um comentário