Sakamoto: investigação aponta que família Bolsonaro é grande lavanderia de dinheiro - Bahia Expresso

Últimas


Ita melhor

terça-feira, 30 de agosto de 2022

Sakamoto: investigação aponta que família Bolsonaro é grande lavanderia de dinheiro



De acordo com o jornalista, Jair Bolsonaro usou táticas 'para evitar que órgãos do governo identifiquem operações esquisitas e as investiguem'
Jornalista Leonardo Sakamoto, Jair Bolsonaro e Polícia Federal (Foto: Reprodução | ABR)

Em sua coluna publicada nesta terça-feira (30) no portal Uol, o jornalista Leonardo Sakamoto destaca que "o uso de grandes quantias de dinheiro vivo na compra de imóveis é uma forma usada para lavar recursos de procedência ilegal". "Normalmente, a prática é usada por traficantes, milicianos, golpistas e organizações criminosas para evitar que órgãos do governo, como o Coaf, identifiquem operações esquisitas e as investiguem", escreve o colunista ao lembrar de quantias milionárias em dinheiro vivo usadas pela família Bolsonaro para a compra de imóveis.
De acordo com o jornalista, "o gabinete do então deputado federal Jair Bolsonaro também apareceu no esquema, que teve de tudo, até repasse de recursos à família de um dos mais temidos milicianos do Rio de Janeiro, Adriano da Nóbrega".
"Também há evidências de que Jair usava 'fantasmas' da família de uma ex-esposa para desviar salários quando deputado federal. O fato do atual presidente nunca ter feito parte do centro do poder na época em que era parlamentar, permanecendo fora dos grandes esquemas, fez com que procurasse outras formas de garantir o seu cascalho", continua.
"Para muitos de seus fãs, o fato de o presidente usar dinheiro vivo seria um exemplo de que Bolsonaro é 'gente como a gente'. Mas não é. 'Gente como a gente' não ocupa, há décadas, cargos políticos, vivendo com mordomias e não tendo ideia do que é trabalhar na informalidade - bem, não oficialmente, pelo menos. 'Gente como a gente' não enriquece com dinheiro público, muito menos consegue dar tapinha nas costas do juiz que vai analisar o caso do seu filho", complementa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário