ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Rosemberg lamenta mortes de PMs e classifica como oportunista discurso da oposição


Parlamentar emitiu moção de pesar pelo pelo falecimento do ubaitabense com familiares em Itacaré, Victor Vieira Ferreira Cruz e seus colegas de farda
O deputado estadual pelo PT e líder do governo na Assembleia Legislativa da Bahia (Alba), Rosemberg Pinto, tratou nesta quarta-feira (11) sobre as mortes dos três policiais militares, em Salvador, no último final de semana, e atribuiu a onda crescente de violência em todo o país à condução desastrosa do governo Bolsonaro.
Na tribuna da Alba, o deputado lamentou os assassinatos dos PMs, que eram lotados em Salvador: Shanderson Lopes Ferreira, Alexandre José Ferreira Menezes Silva e com destaque Victor Vieira Ferreira Cruz - que era natural da cidade de Ubaitaba e sua família mora no município de Itacaré.
“Com imenso pesar que me dirijo às famílias dos policiais da Bahia e, em particular, à família de Vitor Vieira Ferreira Cruz para manifestar-lhe a minha solidariedade, a imensa perda que sofremos com a sua partida, a perda de um servidor que sempre foi um exemplo de amor e dedicação à profissão e ao povo da Bahia”, declarou consternado.
Rosemberg classificou como oportunistas as críticas feitas pela oposição, que tentaram colocar o governo do Estado como corresponsável pelas mortes dos soldados: “Sei que Vossas Excelências estão puxando o debate porque é o debate da eleição, e eu não tenho nenhum problema porque temos o que mostrar. Temos nas escolas estaduais exemplos de programas como o Bolsa Presença para ajudar a essa juventude a se manter na escola e algumas delas levar, inclusive, uma alimentação para suas casas”.
Na avaliação do líder do governo na Alba, precisamos ter um chefe do Executivo nacional que saiba conduzir os rumos da nação. “Nós não vamos resolver o problema da violência como ilha: os municípios isoladamente, o Estado isoladamente, se não tiver à frente dessa política o Governo Federal, e que tenha um presidente que entenda a importância de resolver essa questão de maneira a criar os mecanismos necessário de garantir a segurança pública no Brasil”.
Ações efetivas – Vale destacar que o governador Rui Costa nomeou mil soldados este mês, aprovados em concurso público, além de mil policiais civis; outros mil e setecentos homens estão em curso preparatório. E vem aí um novo certame em que serão convocados, pelo menos, dois mil candidatos.



Assessoria de Comunicação deputado Rosemberg Pinto

Nenhum comentário