ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Bolsonaro não merece ser reeleito para 69% dos eleitores






A aprovação do governo Jair Bolsonaro (sem partido) atingiu o pior momento no ano, conforme dados da Pesquisa Genial/Quaest, divulgada nesta quarta-feira. De acordo com o levantamento 69% das entrevistados acham que o Bolsonaro não merece mais quatro anos de governo, em sintonia com a piora das perspectivas em relação à economia, uma vez que, para 73% dos entrevistados houve piora na situação econômica.
A 5ª edição da Pesquisa Genial/Quaest indicou que avaliação negativa do governo subiu de 53%, em outubro, para 56%, neste mês. Enquanto isso, a aprovação variou de 20% para 19% no mesmo período.
O levantamento constatou que Bolsonaro vem perdendo popularidade inclusive entre quem votou nele em 2018. Até agosto, 52% de seus eleitores avaliavam o atual governo como positivo, contra 15% que consideravam negativo. Agora, esses índices são 39% e 28%, respectivamente. Na primeira edição da sondagem, em julho, os percentuais de eleitores que consideraram o governo Bolsonaro negativo era 45% e positivo, 26%.
Do ponto de vista regional, o governo Bolsonaro é mal avaliado no Norte e no Nordeste do país, com 59% e 60%, respectivamente. Nas outras regiões, o percentual de avaliação negativa ficou em 54%, e em escalada desde setembro, quando a avaliação esse mesmo percentual entre 36% e 37%.
Como o avanço da vacinação, a pandemia deixou de ser o principal problema do país desde setembro, conforme os dados da pesquisa. Enquanto isso, a economia disparou com o maior percentual de respostas sobre a maior preocupação dos brasileiros, chegando a 48%, em novembro, no agregado. Entre os principais problemas econômicos, o crescimento econômico, o desemprego e a inflação receberam foram os mais lembrados. Já o maior problema social do país para os entrevistados foram a fome e a miséria.

Lula mantém dianteira

Enquanto a popularidade do atual inquilino do Alvorada cai, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), permanece na liderança em todos os cenários pesquisados, tanto no primeiro turno quanto no segundo turno. Já a fatia que seria da terceira via encolhe.
Entre outubro e novembro, a preferência do eleitor em Lula passou de 42% para 46%. Já a torcida para que Bolsonaro vença, baixou de 23% para 22% no mesmo período. O percentual eleitor que não quer nem lula nem Bolsonaro via, por sua vez, encolheu de 29% para 25% na mesma base de comparação.

Nenhum comentário