A possibilidade de representação do Temer como presidente foi retirada, ele nunca teve legitimidade para exercer este cargo, declara líder do PT na ALBA, Rosmeberg Pinto - Bahia Expresso

Últimas


Ita melhor

quinta-feira, 18 de maio de 2017

A possibilidade de representação do Temer como presidente foi retirada, ele nunca teve legitimidade para exercer este cargo, declara líder do PT na ALBA, Rosmeberg Pinto

O líder do PT na ALBA, deputado Rosemberg Pinto (PT) falou, nesta quinta feira (18), sobre as denúncias de compra do silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB) e do operador Lúcio Funaro, ambos presos na Operação Lava Jato, pelo presidente -ilegítimo- Michel Temer (PMDB) e o senador Aécio Neves (PSDB-MG). “Estas denúncias retiram qualquer tipo de possibilidade de representação do Temer como presidente, uma vez que ele nunca teve legitimidade para exercer este cargo”, declarou.
O parlamentar ainda percebe que a luta por novas eleições diretas tiveram início desde que o povo brasileiro teve o seu voto desreipeitado com o golpe que culminou no impeachment da Presidenta eleita Dilma Rousseff (PT).
Apesar de afirmar ser contrário a eleição indireta, o deputado Rosemberg defende a Lei, “não podemos desprezar a Constituição brasileira que prevê a eleição indireta, por mais que discorde e como deputado não posso fugir da legalidade”, ressaltou.
Se Temer renunciar ou for cassado, conforme a Constituição deverá haver uma eleição indireta 30 dias depois que o cargo ficar vago. Os deputados e senadores escolherão o próximo presidente e o vice-presidente. O eleito deverá completar o período do mandato até o final do ano de 2018. Porém as eleições diretas tão solicitadas pelo povo podem ser viabilizadas via Proposta de Emenda à Constituição (PEC).
Para o deputado ficou comprovado que o PT não era o protagonista do caixa dois para fins criminosos e pessoais como “manter o silêncio de Eduardo Cunha e pagar advogado para defender Aécio dos possíveis crimes”, listou; e sim para utilização nas campanhas eleitorais. Uma prática comum na política brasileira e que precisa ser coibida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário