Bolsonaro ignora endividamento recorde e pede que bancos liberem empréstimos consignados - Bahia Expresso

Últimas


segunda-feira, 8 de agosto de 2022

Bolsonaro ignora endividamento recorde e pede que bancos liberem empréstimos consignados

Pedido aconteceu durante encontro solicitado por Bolsonaro com a Febraban; Chefe do executivo tenta aproximação com o setor que o abandonou e assinou carta pró-democracia  Guedes e Bolsonaro (Foto: Reuters)
  

Em almoço nesta segunda-feira (8) com representantes da Federação Brasileira dos Bancos (Febraban) e da Confederação Nacional das Instituições Financeiras (CNF), Jair Bolsonaro ignorou o endividamento recorde da população e pediu que as instituições concedam empréstimo consignado aos beneficiários do Auxílio Brasil.

Bolsonaro tenta uma aproximação com o setor após ser abandonado por banqueiros e empresários que assinaram os manifestos a favor da democracia criados pela Faculdade de Direito da USP e a Federação da Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).

Endividamento


De acordo com dados da Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), divulgada nesta segunda-feira (8) pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), o percentual de famílias com dívidas a vencer cresceu 0,7 ponto percentual em julho, atingindo a marca recorde de 78% dos lares brasileiros. 

Outra pesquisa, agora da Confederação Nacional da Indústria (CNI), revela que o salário dos brasileiros não é suficiente para chegar até o final do mês. Um em cada quatro brasileiros não consegue pagar todas as contas e está longe de sair do vermelho, pois 69% não conseguem juntar dinheiro. Em meio à instabilidade financeira provocada pela alta da inflação do governo Bolsonaro, Bradesco, Itaú, Santander, Nubank e BMG negaram anteriormente a oferta de crédito.


Nenhum comentário:

Postar um comentário