Líder do PT defende Wagner na articulação da política - Bahia Expresso

Últimas


Ita melhor

terça-feira, 17 de março de 2015

Líder do PT defende Wagner na articulação da política

Líder do PT na Assembleia Legislativa da Bahia, o deputado estadual Rosemberg Pinto defendeu na segunda-feira, 16,  um protagonismo maior do ministro da Defesa, Jaques Wagner, na articulação política do governo Dilma, além de criticar o tom adotado pelos ministros José Eduardo Cardozo (Justiça) e Miguel Rossetto (Secretaria-Geral da Presidência), na primeira coletiva após os protestos contra o governo, ainda na noite do último domingo, 15.
"É preciso que a nossa presidenta reative a relação com a política. Ela tem uma preciosidade ao seu lado, que é o ministro Jaques Wagner, e não sei por que não está usando", afirmou Rosemberg em plenário, quando os deputados discutiam as manifestações contrárias ao governo.
Desde a última semana, tem sido noticiada a pressão que petistas ligados ao ex-presidente Lula fazem para que Dilma troque o comando da Casa Civil, substituindo Aloizio Mercadante por Jaques Wagner. A própria presidente, porém, garantiu, por meio de nota, a permanência de Mercadante no posto.
Rosemberg também disse que a coletiva dos ministros "despreza um pouco a realidade do que se viu". No pronunciamento, Rossetto associou diretamente a insatisfação expressa nas manifestações aos eleitores que não votaram em Dilma.
"A classe média foi para as ruas não atendendo a uma convocação, mas por entender que paga carga tributária altíssima e não vê serviços públicos de qualidade", declarou Rosemberg, que disse continuar "firme" na defesa do governo.
Protestos
O líder da oposição na Casa, deputado Sandro Régis (DEM), também criticou Rossetto. Segundo o democrata, o discurso do ministro "mostra o tamanho da prepotência do governo PT". "Essa segunda-feira não é igual às outras, depois de 2 milhões de brasileiros irem para as ruas demonstrar insatisfação com o governo federal", disse.
Já o deputado Adolfo Viana (PSDB) afirmou "lamentar a tentativa de desqualificarem a maior manifestação" da qual participou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário