Fórum do Comércio continua interditado; dedetização deixou 33 pessoas intoxicadas - Bahia Expresso

Últimas


Ita melhor

sexta-feira, 6 de março de 2015

Fórum do Comércio continua interditado; dedetização deixou 33 pessoas intoxicadas

Fórum do Comércio continua interditado; dedetização deixou 33 pessoas intoxicadas O expediente e os prazos no Fórum da Justiça do Trabalho no bairro do Comércio, em Salvador, permanecerão suspensos nesta sexta-feira (6) para evitar novos casos de intoxicação causados pelos produtos utilizados na dedetização do ambiente, realizado no último sábado (28). A suspensão atende a recomendação de um relatório preliminar emitido pela Vigilância em Saúde, departamento ligado à Secretaria Municipal de Saúde. Ainda nesta sexta-feira, uma equipe do órgão municipal, junto com técnicos da Secretaria de Saúde da Bahia (Sesab).  As audiências serão remarcadas e as partes serão novamente intimadas. A empresa Sanear Saúde Ambiental Ltda., sediada em Lauro de Freitas, desde novembro de 2014 realiza dedetização nas instalações do Tribunal Regional do Trabalho da Bahia (TRT-BA). Na primeira aplicação do dos produtos, em novembro do ano passado, duas trabalhadoras terceirizadas passaram mal, pois seriam alérgicas. De acordo com o relatório, 33 pessoas passaram mal devido a intoxicação, mas a inspeção, até o momento, só obteve o nome de três pessoas acometidas pelos sintomas. O documento informa que foram utilizados produtos para controle de barata, rato e formigas. Dentre os produtos utilizados foram elencados o triflumurom (HadeSsc); cipermetrina (Cyperex); brodifacoum 0,005% (Rigon GS); difetialona (Rodilon); imidacloprido (Maxforce) e benzoato de denatonium ( Formitek gel). Relatam ter aplicado na garagem do prédio o Cyperex, produto a base de piretróide, e nas dependências do prédio, pulverizado nos rodapés, o Triflumurom (nome comercial: Hades), além da aplicação de produtos em gel nos móveis do prédio. A Vigilância Sanitária de Lauro de Freitas foi acionada para inspecionar a empresa de controle de pragas. O relatório preliminar pede a higienização imediata de todas as dependências do prédio, bem como garantir a ventilação do local; limpar o sistema de ar condicionado; analisar a qualidade do ar no edifício; evitar a exposição de trabalhadores que já apresentaram sintomas e ou com histórico de hipersensibilidade, na atividade de limpeza; disponibilizar as fichas de atendimento de todos os trabalhadores (servidores e terceirizados) que foram acometidos e atendidos no Serviço Médico; realizar visita integrada SMS e Sesab nas dependências do TRT.

Nenhum comentário:

Postar um comentário