ÚLTIMAS NOTÍCIAS

COMO LIDAR COM ESTRESSE E A DEPRESSÃO NO CONFINAMENTO SOCIAL.

* Maria Reis Gonçalves (Tia Nem)

A pandemia do Coronavírus apareceu e modificou o cotidiano de todos nós e, principalmente, das pessoas que trabalham fora de casa e possuem uma vida corrida no seu dia a dia. O comércio fechou as portas, as escolas, repartições públicas, até mesmo os locais de lazer, como o cinema, teatro, parques e barzinhos, e as pessoas foram obrigadas a ficarem trancadas em suas casas. Nesse contexto, onde do confinamento passa ao tédio e ao ócio, muitas pessoas começam a ter pensamentos sombrios, a ter medo do que poderá acontecer com ele e a família, o pânico se instala e o stress torna-se um companheiro inseparável. Nesses casos, se as pessoas não se cuidarem, a ansiedade e a depressão pode se instalar, o que provocaria um grande desequilíbrio mental no sujeito.
A Organização Mundial de Saúde, tem aconselhado aos governantes, que providenciem atendimentos psicológicos para os confinados, através de vídeo conferência, Whatsapp ou mesmo instalando uma central telefônica, onde as pessoas teriam às orientações necessárias para suportar o confinamento, sem com isso entre em estados depressivos. Não esquecendo as pessoas, com suspeitas da doença, que ficam isoladas, sem contatos com a família e amigos, e sentem a sensação de abandono, esses pacientes, necessitam de um atendimento psicológico, pois nessa situação, é natural sentirem-se confusos, tristes, revoltados, assustados, ansiosos e depressivos. Não sabendo como lidar com a situação e com pensamentos negativos povoando sua mente.
Para as pessoas que estão em confinamento social e que não apresentam a doença, fica mais fácil lidar com o stress, principalmente aquelas que tem a companhia dos familiares; já as que moram sozinhas, em outros Estados da Federação, longe da família, fica bem mais complicado pois, a solidão, pode desencadear a depressão mais rapidamente. Por isso, é necessário que a família esteja sempre em contato com essa pessoa, dando-lhe suporte e mostrando que se importa com ela. Já os que estão em observação, com suspeita da doença e precisam ficar em isolamento, a família deverá ligar sempre, assim como os amigos, para que o sujeito não se abata, fique triste, e deprimido. 
No entanto, para que possamos nos precaver contra o stress e a depressão, precisamos seguir alguns exercícios mentais que ajudará ao isolado, melhor lidar com a situação, principalmente as pessoas que são ativas e vivem dentro de uma rotina dinâmica no seu dia a dia. 
O Exercício da respiração Profunda, é um mecanismo usado por muitos terapeutas, para minimizar a ansiedade, melancolia, medo, principalmente as crises nervosas e o estresse. O Exercício consiste em inspirar pelo nariz, de maneira lenta, até que você sinta seu diafragma cheio de ar, segurar por 4 minutos e depois ir soltando o ar pela boca, lentamente, até sentir-se vazio. Deve-se fazer esse exercício logo ao acordar, pelo menos umas 10 vzs. E se no correr do dia, se sentir ansioso, poderá repetir o exercício, quantas vzs forem necessário.
Não deixe que a irritação do confinamento faça você exagerar na bebida e na comida. Sabemos que a ansiedade e o estresse nos leva a comer a todo momento, principalmente comidas que não são muito saudáveis, outros buscam na bebida um escape para a angustia que está se instalando, tenham cuidado, busquem comidas saudáveis e bebam muita água. Quando quiser tomar uma bebida forte, troque por sucos, assim você fortalece sua imunidade e se mantém saudável.
Procure pensar positivamente, não deixe que pensamentos negativos se instale, quando você estiver com pensamentos ruins, de baixo astral, imagine que tudo isso irá passar e você e os seus familiares vão ficar bem. Que todos em todo o mundo ficará bem, e que as coisas irão melhorar. Fale sempre palavras positivas, cultive a sua autoestima, tenha na mente que essa situação não vai durar para sempre.
E não esqueça de se proteger se precisar sair à rua, ao se proteger, você cuida de você mesmo e dos outros, principalmente dos que ficaram em casa. E não esqueça, lave sempre as mãos e use o álcool. E o mais importante, ore, eleve o seu pensamento para o Nosso Pai Celestial, e peça ao nosso Deus, que nos proteja e que proteja a todos que estão passando por todos esse problemas. E vamos ter fé, e cuidar mais de todos nós.

* Maria Reis Gonçalves (Tia Nem) é psicologa e escritora

Nenhum comentário